quinta-feira, junho 30, 2005

Até sempre!

É talvez um dos dias mais tristes da minha vida, mas um dia que marca uma nova fase no jornal. A partir de amanhã, Paulo Narigão Reis, excelente jornalista e pessoa de grande dimensão pessoal e ética, assume a direcção. Só posso estar contente com a escolha que, da parte da administração, revela uma vontade efectiva de prosseguir um projecto que começou a ser construído há pouco mais de um ano e que, na minha opinião, não pode parar agora.
Saio com a convicção de que demos o melhor de nós próprios ao projecto, que estimulámos as pessoas para uma aventura em que não acreditavam ao princípio, que modernizámos o jornal, que lhe demos uma outra organização, que aumentámos as vendas, o que não acontecia há longos anos, e, sobretudo, que contribuímos para um acréscimo de notoriedade e capacidade de influência.
Mas tudo isso era o mais fácil. Por isso, sinto-me derrotado. Porque não conseguimos completar o projecto que tínhamos, por não termos editorialmente conseguido oferecer uma coerência global mais forte, por não termos conseguido ter a força suficiente para aumentar a circulação e as áreas de distribuição do jornal, por não termos cumprido algumas das promessas que fizemos à nossa equipa durante todos estes meses.
Sei que a minha equipa, com quem fui pouco complacente em tantos momentos, está desiludida com a minha saída. Esperava que tentasse continuar a remar contra as marés que nos aparecessem pelo caminho e que o nosso destino, como tantas vezes lhes disse, seria ganhar no fim. Abandonámos o barco antes da vitória, é justo que na despedida o abraço seja magoado.
Quando o Bruno Pires, um dos jornalistas mais frontais que conheço, entrou na minha sala e confessou que de mim esperava tudo menos a desistência, pensei que há momentos na vida onde não vale a pena encontrar desculpas. A partir de determinada altura “passeamos” pelo que fazemos como se andássemos por todos os destroços que deixámos para trás. Gostaria muito que a redacção, e todos os que aceitaram mergulhar de cabeça contra a lógica e a derrota antecipada, não desista de concretizar o sonho, que não desista de mostrar aos leitores o que de melhor têm por dentro.
Aprendi muito mais com a minha equipa do que o contrário. Todos juntos fizemos das fragilidades provas de força diária. Com apenas 40 jornalistas conseguimos fazer um jornal competitivo e com uma agenda própria. Com manchetes que foram importantes e agitaram o País, com uma identidade que estimulou discussões sobre a classe e as fronteiras do próprio jornalismo.
Quero agradecer à Fernanda Mira, grande chefe de redacção, por tudo. Nesse agradecimento abraçar cada um dos que arriscaram ficar sem vida própria em nome do respeito por si, caro leitor. Quero agradecer a cada uma das pessoas que aceitaram colaborar em A Capital, gente que muitos achavam ser uma aposta impossível. Mário Soares, António Mega Ferreira, Daniel Sampaio, Maria José Nogueira Pinto, Jacinto Lucas Pires, Gonçalo M. Tavares, Luísa Castelo Branco, Mário Cordeiro e José Luís Peixoto.
Quero agradecer aos meus companheiros de vida, gente a quem serei fiel até ao fim de todos os caminhos. Miguel Romão, Tiago Rodrigues, Luís Filipe Borges, Nuno Costa Santos e Maria Cristina Osório. Despedir-me do Vítor Manique, director comercial. E de todos os que com ele trabalham diariamente. Despedir-me do Pedro Fernandes, homem responsável pela renovação gráfica, e que se transformou em alguém que é nuclear no centro dos meus afectos.
Por fim, agradecer ao António Matos e à restante administração por terem confiado que poderia ser um bom director. Por muitas divergências que possa ter havido, por muitos recuos e amuos que a nossa relação tenha conhecido, fica um ano de trabalho em conjunto. Diferentes entendimentos são legítimos e não beliscam o essencial.
Ao terminar este texto, o último copo será com Rogério Rodrigues. Que me protegeu nos momentos difíceis, que foi uma voz sábia por entre os tumultos, com quem aprendi (há já longos anos) que a coragem e o carácter são porventura mais fundamentais do que tudo o resto, mesmo o talento. Espero que não te tenhas desiludido, querido Rogério.
Finalmente, o mais importante. Despedir-me de si. Agradecer-lhe a confiança por ter apostado em A Capital, um pacto que este jornal fará por manter. Muitas vezes, talvez não tenha concordado com a linha do jornal ou com as minhas opiniões, mas tudo o que fiz foi por convicção.
Até sempre.
Luís Osório
Ex-director de a A CAPITAL
Editorial de 30 de Julho de 2005

P.S. - Até sempre, camarada!
P.S.1 - É estranho definir o que se sente neste momento. Mais que as palavras, o silêncio e a introspecção é a melhor forma de o fazer!

Imaginem que amanha e o fim do mundo. O que diriam os nossos colegas?

Olá pessoal! Saudações académicas para todos! Ainda há pouco tentei deixar aqui uma mensagem mas ela não aparece no blog! Por isso vou voltar a colocá-la... (Só espero que não apareça duas vezes, senão o anónimo pode-se chatear) lol
Desculpem andar desaparecida, mas isto está mesmo um stress e com os exames tudo piora. Há uns anos atrás enviaram-me um mail ao qual não dei muita importância. Passados 3 anos voltei a relê-lo e agora acabei por achar engraçado e por isso passo a transcreve-lo...


Imaginem que foi descoberto que o mundo acaba amanhã. Neste cenário
hipotético, seriam estas as principais notícias dos jornais e revistas:

Expresso
O MUNDO VAI ACABAR; GOVERNO NÃO COMENTA

Público
GOVERNO ANUNCIA O FIM DO MUNDO

Avante
FIM DO MUNDO APROXIMA-SE; O ALENTEJO FINALMENTE VAI SER NOSSO

O Independente
SAIBA COMO VAI SER O FIM DO MUNDO

O Crime
PSICOPATA MATA A MÃE, DEGOLA O PAI, VIOLA A IRMÃ E FUZILA O IRMÃO AO SABER
QUE O MUNDO VAI ACABAR!

Jornal de Negócios
JUROS FINALMENTE CAEM!

O Jogo
NEM O FIM DO MUNDO SEGURA O DRAGÃO!

A Bola
FIM DO MUNDO É MANOBRA DO PINTO DA COSTA!

Tal e Qual
O MUNDO FO***-SE, ACABOU-SE TUDO!

********Revistas:**********

Visão
EXCLUSIVO: ENTREVISTA COM DEUS!
a.. Porque demorou tanto o apocalipse
b.. Especialistas indicam como encarar o fim do mundo

Maria
O MELHOR DO SEXO NO FIM DO MUNDO

Cosmopolitan
TESTE: O SEU NAMORO VAI ACABAR ANTES DO FIM DO MUNDO?

Playboy
PLAYMATE DO MÊS: UM APOCALIPSE DE SENSUALIDADE!

Exame Informática
100 DICAS DE COMO APROVEITAR O WINDOWS THE END!

Nova Gente
ATÉ AO FIM DO MUNDO A SUA REVISTA "NOVA GENTE" VAI CUSTAR APENAS 100$00

TV Guia
EXCLUSIVO: O FIM DO MUNDO NA SIC

Em Forma
Tenha um END light. Leia aqui como!

e finalmente, no boletim
MICROSOFT NEWS: WINDOWS 99 FOR GHOSTS-GROUPS
--

Espero que tenham gostado... Agora aqui vou eu de novo... Beijoquinhas para todos...

segunda-feira, junho 27, 2005

Boa, Ginga!!!

Boa, Ginga!!! Numa só palavra: PARABÉNS!!!!! Para o/a "Anónimo/a": toma, toma, toma!!!!! ;-)
Embora tivesse lido com atenção os textos da Ana Clara, estou, neste momento, a sofrer de preguiça mental, dada a hora avançada da tarde e ao cansaço. Por isso, Ana, quando a minha dinâmica cerebral regressar do seu estado de hibernação (temporária, espero!), prometo que acederei ao teu pedido de participação na discussão.
Novidades: acho que é desta que o Pedro vai começar a trabalhar. Para já, ele conseguiu um daqueles trabalhos temporários, mas já nos garantiram um trabalho a sério para Setembro. Vamos esperar!
De resto, é tudo velho. Em princípio, vou hoje ao cinema ver "Mr. and Mrs. Smith"! Fui ver o Sin City - A Cidade dos Pecados, com o Bruce Willis. Conclusões? É diferente, muito diferente. Só para terem uma ideia, o filme é todo a preto e branco e só determinadas coisas aparecem a cores, principalmente o que seja vermelho. Mas está muito bom. Conselhos para quem queira ver: tomem atenção às personagens, não se esqueçam delas à medida que o filme for correndo.
Beijocas grandes na bochecha

domingo, junho 26, 2005

A promessa!

Quem segue e persiste no caminho de uma profissão chamada «Jornalismo» percebe, desde o primeiro instante, que nada nesta classe são, como se costuma dizer, «favas contadas». Há cerca de um ano ingressei na profissão. Na altura – ainda nos bancos da Faculdade – pensava que não havia nada mais duro e difícil que o estudo e que os exigentes números de trabalhos pedidos pelos professores. Enganava-me. Percebi, pouco tempo depois, que as hercúleas batalhas ainda estavam para chegar. Sentia-as – e sinto – na pele que vesti: o Jornalismo.
Desde então muito aprendi. Muito ainda estou a aprender. E muito mais tenho ainda para saber. A propósito da demissão do meu director quero apenas salientar duas coisas. A dimensão humana de qualquer pessoa não pode NUNCA ser dissociada da dimensão profissional. Luís Osório contemplou ambas em a A Capital, sabendo distanciar-se, sempre, de uma e outra, consoante as circunstâncias. Muito aprendi com ele. Soube, no momento certo, ensinar-me a aprender com os erros. E nos momentos de brilho sempre soube também incentivar-me, dando-me motivação para evoluir na profissão e, sobretudo, para não desistir NUNCA do jornalismo – algo pelo qual sempre lutei e continuarei a lutar.
A vida é, na minha visão, uma sucessão de ciclos naturais. Luís Osório fez parte do meu primeiro ciclo na profissão. Isso é algo que não se esquece. O abalo em cada um de nós que teve a oportunidade de privar com ele é, obviamente, inevitável. Ainda assim, os abalos só podem servir para nos fortalecer e seguir em frente. A história das nossas memórias fará o resto. E já se encarregou de colocar o Luís nessa resenha!
P.S. – Seria bom para nós, jovens licenciados em Jornalismo, que pudéssemos discutir e partilhar experiências. Quem sabe, num futuro próximo, as distâncias não se encurtem e possamos trocar conhecimentos. Por mim, cá estarei, disponível para isso.

Jorge Coelho: o homem do «aparelho» socialista!

O coordenador autárquico do PS, Jorge Coelho, admitiu na semana passada a A CAPITAL que o PS pode vir a sofrer os custos das eleições autárquicas devido às medidas do Governo. O PS não tem candidato presidencial. O PS está a descer nas sondagens, ou seja, nos próximos tempos, o engenheiro José Sócrates vai ter de habituar-se ao peso da derrota e ao descontentamento da opinião pública, depois de ter vencido o PS e o país com todas as facilidades.
A vida de José Sócrates vai agora começar a complicar-se. E o truque de estar ausente também vai deixar de resultar porque é inevitável começar a dar explicações aos portugueses. O Governo avançou com dezenas de medidas mas não as explicou, como se ninguém fosse afectado por elas e todos tivessem de partilhar as certezas absolutas e a arrogância do primeiro-ministro.
O PS nas eleições autárquicas tem cometido erros graves que possivelmente pode pagar caro. Manuel Maria Carrilho, por exemplo, conseguiu em poucas semanas que os lisboetas se esquecessem do vazio e dos disparates cometidos nos últimos quatro anos. Carrilho conseguiu ainda melhor: colocar Carmona Rodrigues à frente nas sondagens. Coelho e Sócrates tiveram mesmo de intervir na estratégia eleitoral do ex-ministro da Cultura. Um homem das elites que quer uma Lisboa elítica e, com isso, ignora os problemas sociais foi o suficiente para o partido perceber que era inevitável uma paragem para balanço. Como sempre, o homem do «aparelho» socialista lá estava, obrigando Carrilho a redefinir toda a campanha.
Porém, também nas presidenciais ninguém no PS tem a mínima ideia de quem possa ser o candidato da área socialista, o que quer dizer que se Cavaco decidir avançar - como é quase certo - o PS vai limitar-se apenas a aceitar e a conformar-se com o resultado. Por estas e por outras, o mais certo é o PS perder as autárquicas e as presidenciais e se o Dr. Mário Soares estiver certo, o Governo arrisca-se a não chegar ao fim do mandato.
Jorge Coelho tem, há muito tempo, um papel fundamental no PS. Merece, por isso, uma nota positiva, não só no partido como no seio dos opinionmakers. Contudo, tem a responsabilidade de apaziguar conflitos entre estruturas locais e candidaturas autárquicas. Tem nas suas mãos a difícil tarefa de dar contas a José Sócrates sobre o partido. Não pode, por isso, deixar que militantes «arrogantes» como Manuel Maria Carrilho dividam o partido. Lições de moral na política todos o sabem fazer. Jorge Coelho não as dá. Nem perde tempo em discursos demagógicos. Executa e reprime estratégias erradas. É disso que todos os políticos que se deixam levar pela sede de poder precisam: de um Jorge Coelho em todos os partidos!
P.S. - Antes que me acusem de qualquer tipo de veia partidária, quero desde já esclarecer, que não me reflicto em quaisquer força política portuguesa. Tenho a minha identificação ideológica, é certo. Ainda assim, tenho obrigação, enquanto jornalista que lida com a política, de ter opinião sobre os agentes que nela se movem. É justo, na minha opinião, salientar o bom e o mau da política em Portugal. Espero comentários e discussão.

100 dias de (des)governo?

Não é fácil fazer um balanço cuidado do que aconteceu nestes 100 dias de Governo socialista. Contudo, um dia, com uma maior distância, os politólogos e analistas poderão chegar a uma de duas conclusões: foram estes meses que «mataram» ou «glorificaram» o Executivo de José Sócrates.
E esse balanço vai-se fazendo com o tempo, com a tempestade pública, com a agitação no país, em função daquilo que parece ser um percurso que não poupa nem ajuda ninguém, em nome de um moralismo que nada tem a ver com política.
Os portugueses querem soluções à medida, melhorar as suas vidas, ver o país crescer e andar para a frente, e ninguém, em boa verdade, pode garantir que isso vai acontecer, e que daqui a uns anos está tudo melhor.
Não tem sido assim, e porque razão será agora? O Governo tem de perceber que está em funções em nome de uma maioria que o sustenta, e não contra tudo e contra todos. Isso é o fim, dure o tempo que durar. Cem dias é pouco para avaliar um Governo, mas é também tempo suficiente para se perceber o caminho escolhido.
Ainda assim, vai já sendo tempo de o eng. José Sócrates sair da cortina de silêncio que tem implementado. Entendo que queira ser o oposto de Pedro Santana Lopes. Quer marcar pela discrição. Quer marcar calando assessores. Não quer que a comunicação descubra intenções políticas antes de si mesmo. Demarca-se de polémicas. No entanto, é bom que o sr. Primeiro-ministro saiba que é preciso começar a aparecer mais. Explicar as polémicas no momento certo. Talvez fosse bom aconselhar-se com o seu nr.2: António Costa.
Só assim, conseguirá colocar no terreno as suas políticas estruturais. Só assim os portugueses serão convencidos, ainda que mal! Só assim, poderá minimizar os custos políticos de uma eventual derrota autárquica!
Beijos e abraços para todos!

sábado, junho 25, 2005

A ministra apolítica!

As declarações da ministra da Educação sobre a disparidade entre as sentenças de um tribunal açoriano e outro de Lisboa estão a ter uma repercussão exagerada mas não deixam de ser muito importantes. A questão não é a falta de respeito pelos Açores ou pelos juízes, que tanto tem indignado a classe. A única questão é a falta de preparação da ministra para uma entrevista que ela sabia que ia ser importante. É o resultado - ainda que prematuro - de uma experiência mais académica que política.
A minha experiência enquanto jornalista ainda é mínima. Contudo, da pouca que possuo, considero que, pelo menos neste espaço de debate, posso emitir uma opinião sobre as despropositadas declarações da ministra na semana passada.
Desde segunda-feira que a ministra era convidada para ir a televisões e rádios. Adiou para 4ª feira, o que, à partida seria sensato - nesse dia a ministra poderia ter falado do sucesso dos exames e das poucas consequências de greve (indiscutivelmente os sindicatos perderam esta batalha). Mas é um absurdo não se estar preparado para responder às questões óbvias. E a questão que lhe foi colocada era óbvia. A resposta é que foi tudo menos óbvia: foi atrapalhada, confusa, nada rigorosa e, sobretudo, POLITICAMENTE DESASTROSA.
Para quem faz jornalismo político há uma regra que se aprende desde logo com os gabinetes ministeriais: os ministros políticos devem ter gabinetes muito técnicos e que os ministros técnicos devem ter gabinetes muito políticos. Na semana passada, viu-se o que dá uma ministra técnica com um gabinete técnico a enfrentar uma questão política: dá ASNEIRA!
Ainda é cedo para avaliar as responsabilidades dos titulares das pastas ministeriais deste Governo. Ainda assim, já vai sendo tempo para o eng. José Sócrates e a sua equipa se irem preparando para os combates políticos. Se não acontecer já, está eminente o fim do chamado ESTADO DE GRAÇA!
Beijinhos e abraços para todos!

Algumas curiosidades para descontrair...

Sabiam que:
A frase inglesa "The quick brown fox jumps over the lazy dog" utiliza todas as letras do alfabeto!? Foi criada pela Western Union para testar as suas telecomunicações telex/twx!

Quando o café "A Brasileira" vendeu os primeiros cafés expressos" em Lisboa, o público achou-os amargos e daí que o proprietário da casa tivesse inventado o slogan para ajudar nas vendas: "Beba Isto Com Açúcar". E pegou! Hoje, a palavra foi reduzida às suas iniciais: BICA! Afinal, a BICA tem uma razão forte de existir!!...

Durante a Guerra, nos Estados Unidos da América (vulgo USA), quando as tropas voltavam para o quartel após uma batalha sem baixas, escreviam numa placa "0 Killed" (zero mortos) o que deu origem à expressão OK para indicar que tudo está bem.

Antigamente, em Inglaterra, não se podia fazer sexo sem o consentimento do Rei (a não ser que se tratasse de um membro da família real (Ufa! ainda bem que os tempos mudaram!!..."). Quando os súbditos de sua majestade queriam fazer amor, tinham que solicitá-lo ao monarca, que lhes entregava uma placa que deviam colocar em frente da porta do quarto enquanto tivessem relações. Na placa lia-se: "Fornication Under Consent of the King ". Daí a origem da expressão inglesa FUCK!!!

E esta, hein??!!!!

sexta-feira, junho 24, 2005

Política em Portugal...

Olá!
Vi os posts da Ana Clara e da Tixa e decidi deixar aqui a minha opinião.
Os políticos deste país revelam-se cada vez mais incongruentes...E acho que não vale a pena defender uns nem outros. Senão vejamos...
O Srº Presidente da República defendia durante o Governo PSD que era tempo de mostrar sinais de retoma económica. Agora vem defender a tomada de medidas cada vez mais rigorosas e pedir novamente sacrifícios aos portugueses...
O Engenheiro Sócrates penso que fez uma campanha eleitoral notável. É que a filosofia do seu Governo é uma antítese da sua campanha eleitoral. Se não vejamos:
- as SCUT não se iam pagar- afinal, parece que sim.
- o Imposto Automóvel ia mudar e baixar - afinal, parece que vai ficar igual, ou talvez aumentar...
- os impostos não iam aumentar- afinal, o IVA vai já para 21%.
Se não faziam ideia do valor do défice, só revelam incompetência e demagogia nas promessas.
O que se fez foi mentir e carregar sobre alvos fáceis...
Porquê falar de empregos e do choque tecnológico para agora fazer precisamente o contrário?
Aumentar o IVA para 21% só vai levar a um abrandamento da economia e à fuga ao fisco.
É de salientar o bom aproveitamento do PS do relatório da comissão Constâncio. Uma interpretação feita da forma que mais lhes convêm para poder aumentar os impostos e cortar regalias...
Uma coisa é certa. Já conseguiram instalar o pessimimismo no consumidor e isso reflecte-se obviamente na economia. A crise está aí novamente.
Esta é só mais uma prova de como está a política no nosso País...
O Ministro das Finanças e o Presidente da República pedem sacrifícios mas são os primeiros a acumular reformas e ordenados. Parabéns!!! Gostava de os ver a viver um mês com um ordenado mínimo!
Não vale a pena apontar o dedo a uns e a outros porque no fundo é tudo igual...
Infelizmente é o estado do nosso País...

quinta-feira, junho 23, 2005

Sobre isto ainda hei-de falar..oportunamente!

O jornalista Luís Osório vai deixar no fim de Julho a direcção do diário A Capital, alegando «diferentes entendimentos» com a administração sobre o futuro do jornal, afirmou hoje à agência Lusa o ainda director. «Nesta altura, não tenho todas as garantias que os objectivos traçados para o jornal possam vir a ser cumpridos», sublinhou Luís Osório, defendendo que o projecto definido para o diário A Capital precisa de passar para uma segunda fase. Osório assumiu a direcção da publicação em Maio do ano passado, tendo desde então procedido a uma reforma editorial e gráfica.
«Este ano foi um ano muito positivo. Conseguimos concretizar todos os objectivos deste primeiro ano, como estancar as quedas nas vendas do jornal, e tivemos, sobretudo, um ganho de notoriedade e uma maior capacidade de influência em novos sectores, como por exemplo na política», salientou.
Rogério Rodrigues, actual director-adjunto do diário, acompanhará Luís Osório, cessando também funções. Questionado sobre o seu futuro e possíveis projectos, Luís Osório revelou que não tem planos, salientando que continua a acreditar no futuro deste projecto editorial.
Contactada pela Lusa, a direcção-geral da espanhola Prensa Ibérica em Portugal, a proprietária do diário, confirmou que Luís Osório cessa em Agosto, a seu pedido, as funções de director.
«A administração do jornal sublinha a forma personalizada como Luís Osório exerceu a direcção ao longo de um ano», referiu um comunicado assinado pelo administrador e director-geral da Prensa Ibérica, António Matos. «A nova liderança da redacção será conhecida oportunamente», concluiu o mesmo documento.
O jornal A Capital, fundado no final da década de 60, é actualmente propriedade do grupo espanhol Prensa Ibéria, que também detém em Portugal o título portuense O Comércio do Porto.

P.S. - Sobre isto ainda hei-de falar oportunamente. Hoje não é um bom dia para falar. Também destes processos de mudanças de direcções nos tornam a nós, jornalistas, seres diferentes.

BASTA!!!!!!

Venho "entupir" o blog outra vez!
Já é altura de dizermos "stop" à participação do/a "Anónimo/a"! Tal como o Ginga disse, este é um blog de um grupo de AMIGOS. Por isso, se essa pessoa quiser ser levada a sério, se quer realmente contribuir para as discussões, pelo menos, que tenha vergonha na cara, escrúpulos, decência e se identifique. Ou então, não se meta onde não foi chamado(a).
Chega de hipocrisia e cinismo, ok?

'Brigada Sofia

Sofia, obrigada por teres dado notícias da Nina, embora não sejam muito boas, né?
Ela não estava a trabalhar numa rádio lá em Pedrógão Grande? Correu mal ou era só estágio?
Bom, espero que as coisas corram melhor para ela. E já agora, para o resto do pessoal que estiver na mesma situação.
Então, Sofia, como estão a ser os primeiros dias de casada? O nó da forca já está muito apertado? ;-) Espero que esteja a correr tudo bem.
Beijocas e, mais uma vez, obrigada.

Carta aberta sobre o Dr. Pedro Santana (F)Lopes

Ai agora o Dr. Pedro Santana Lopes está armado em amiguinho dos portugueses?!?!? Porque é que ele não se lembrou de o ser naqueles (míseros) 4 meses em que esteve no "trono"? Será que ele está a tentar passar a mão pelo pêlo? Se sim, não muito obrigada! Como a Ana diz, mais vale ficar no seu cantinho, a (des)cuidar dessa nossa grande capital Lisboa e preocupar-se mais com as suas Santanetes. O Paulo fez bem: fechou as suas Portas para a política.
Neste momento, não é relevante tentar descacar essa batata a ferver da qual todos procuram livrar-se que é o verdadeiro culpado da situação actual da nossa economia. Sócrates, Santana, Barroso, Guterres ou Cavaco... Todos contribuíram, cada um à sua maneira, para o flagelo do défice orçamental, por isso todos têm uma pontinha de culpa. Mas, agora, o mais importante é fazer reviver aquele espírito de união que vivemos por ocasião do Euro 2004 e fazer os sacrifícios que todos pedem (embora esses não os façam) para que possamos superar esta crise.
Bom, já discursei, por isso agora as novidades. Sabem onde é que a minha irmã está? Uma pista: je suis perdu, je suis perdu!!!! Ah, Paris, Paris... E tal como a prof. de francês, ela também levou o filho, só que a prof. não sabia que o levava, né?
O Pedro afinal ainda não começou a trabalhar. Que merda!!!! Isto está mesmo complicado...
Que é feito da Nina? A única coisa que soube foi que ela foi a madrinha de casamento da Sofia, de resto, nicles... Alguém tem novidades dela?
Bom, espero que estejam todos bem.
Beijocas grandes CHUAC CHUAC

quarta-feira, junho 22, 2005

Carta a Bruxelas!

Pedro Santana Lopes escreveu à Comissão Europeia. O ex-primeiro-ministro português pediu à Europa para ter em conta «o assinalável progresso alcançado» por Portugal «na redução do défice estrutural» quando avaliar o processo por défice excessivo. O antigo governante alerta ainda para a singularidade da economia portuguesa, lembrando que Portugal está muito dependente dos efeitos negativos da situação internacional.
Pois é. Só é pena que o Dr. Pedro Santana Lopes se esqueça rapidamente que o Governo que liderou - ainda que por meros 4 meses - também é cúmplice deste valor extraordinário de quase 7 por cento. Esses quatro meses não são, obviamente, a causa para a situação das contas públicas. Todos o sabem. O problema é que ele foi o persecutor de uma política liderada pelo seu amigo Durão Barroso. O problema é que Bagão Félix seguiu uma política errada de Manuela Ferreira Leite. Escrever a Bruxelas para fazer elogios aos erros cometidos por sucessivos Governos do PS e do PSD é absurdo. Porque o que ainda ninguém reflectiu é exactamente sobre o seguinte: Não terá este valor do défice um resto de Cavaco Silva?
Miguel Cadilhe, ministro das Finanças de Cavaco, já levantou a questão. Só é pena que tanto o PS como o PSD teimem em passar, sucessivamente, a batata quente um para o outro.
Dr. Santana Lopes siga o caminho do seu amigo Paulo Portas: afaste-se por algum tempo da política portuguesa. Os portugueses dispensam a sua fraca contribuição que só empobrece a classe política.
Beijos e abraços para todos.

sábado, junho 18, 2005

Porquê pedir sempre um recibo?

Porque não podemos continuar a poupar dinheiro a quem vive dos impostos que nós pagamos, sem pagar os seus!
Quando não exige um recibo - que por lei lhe devia ser entregue, ao invés daquela habitual pergunta viperina " Quer recibo?" - está, de facto, a poupar ao infractor 19% de IVA mais a parcela dos 20 a 40% de IRC que deveria pagar mas não o fará porque, obviamente, se esquivou aos documentos respectivos.
Em números médios ele tem uma vantagem - na fuga aos impostos - de 25 a 30% do total pago além de, neste preço, já ter incluído a respectiva margem.
E nós, que não podemos fugir aos impostos, pagamos os nossos e, como ao Estado esse dinheiro já não chega, vamos também sofrer a sós o agravamento dos mesmos porque, as pessoas que diariamente nos vendem refeições, livros, perfumes, fatos, sapatos, portas, janelas..., nunca passam recibos!
Ou seja, pagamos os nossos impostos e temos de pagar também o que outros - vivendo das nossas compras - não pagam, por se esquivarem aos devidos recibos.
Vamos, a partir de hoje exigir sempre recibos. De tudo. Veremos se o deficit se reduz ou não...
E voçês o que é que têm a dizer??

sexta-feira, junho 17, 2005

A luta continua...Queremos Justiça!!!

Parece que agora estamos de acordo ;-)
Foi o que eu referi anteriormente.
É preciso esquecer esse preconceito de que negros ou amarelos é q são os criminosos no nosso país...
Só na Assembleia da República temos 230 ladrões... e penso que não está lá nenhum negro... LOL
Em relação à criminalidade a Justiça tem de actuar e rapidamente.
Não é a passar multas de estacionamento e de excesso de velocidade que se combate a criminalidade no nosso país.
Qual a vossa opinião sobre o facto de a PSP não entrar no bairro Cova da Moura? Mas afinal o que vem a ser isto?
É necessário punir muito a sério os criminosos e não fazer dos estabelecimentos prisionais colónias de férias ou salas de xuto.
Brancos ou negros a criminalidade tem q ser combatida.
Basta de perseguir quem trabalha e até porque se calhar precisou de estacionar 5 minutos em cima de um passeio aparece uma agente tanso, gordo a arrotar e passar a unhaca nas orelhas para nos multar. Provavelmente o mesmo agente da autoridade se visse um "agarrado" a roubar virava as costas e começava a correr (leia-se caminhar.Eles não correm, arrastam-se...)
Infelizmente é o estado do nosso país...
Beijinhos e abraços

Temos discussão!!!!

Nuno, essa de passares a pasta não pega. Primeiro, porque estávamos a falar, pelo menos eu, de racismo e não de xenofobia. Segundo, meu caro, tu ficarás eternamente conhecido como Hitler, por isso não tens hipótese. Ninguém terá coragem de te roubar esse título!!!!!
Não digo que somos uns santinhos lá fora, até porque não somos. Temos aí os exemplos que o Nuno referiu. O certo é que realmente a Justiça e as forças de segurança (nomeadamente a sua tutela) têm de reunir esforços para encontrar formar mais eficazes de combate à criminalidade. E digamos que o famoso "Arrastão" foi facilitismo puro. Como é que é possível que numa das praias mais frequentadas do país não exista segurança policial? A agravar a situação, temos o facto de não estar apenas a integridade física dos portugueses em causa, como também a dos turistas, aqueles que contribuem para a nossa economia. Se não fosse o turismo (embora esteja muito longe das suas verdadeiras potencialidades), estaríamos verdadeiramente mergulhados numa crise económica devastadora, da qual não conseguimos ver a luz ao fundo do túnel.
Mas voltando ao racismo. Não posso deixar de concordar com a Sandra. Será que um dos critérios da noticiabilidade de um acontecimento é o facto de envolver pessoas negras (ou de outras comunidades que não a branca) ou não? Sendo verdade, então, a actividade jornalística não pode ser considerada inocente quando se aponta dedos a racistas. Por isso, ABAIXO OS JORNALISTAS!!!!! Brincadeirinha!
Esta discussão à volta de temas como este deve ser uma facadinha nas costas da "Anónima"! Porque agora estamos a "entupir" o blog com este assunto. É f......, né?
Beijocas. VIVAM OS ENTUPIMENTOS E OS ENTUPIDORES ;-)

Mto bem...

Desculpem, mas vou ter que falar!
Andam cinco anos a chatearem-me e a chamarem-me Hitler e agora vem com estes comentários...
Vou ter que passar a pasta a alguém e parece que não faltam candidatos... LOL
Escumalha há em todo o lado... Brancos, pretos ou amarelos não interessa.
A Justiça tem é que ser mais severa com os criminosos. A questão de raça ou cor é irrelevante... Nós portugueses também temos deixado muito a desejar noutros países. Na Inglaterra procuram um individuo que é acusado de ter assassinado a namorada. No Brasil um Português matou não sei quantos portugueses de forma brutal... Pois é...Quem tem telhados de vidro não pode atirar pedras!
Beijinhos e abraços

quinta-feira, junho 16, 2005

Boa, Johnny!

Também gostei do post do João!
Eu não sou racista, mas não deixa de ser verdade que a maior parte dos crimes, principalmente em Lisboa, é cometida por membros das comunidades negras. Porque será, pergunto eu? O certo é que alguns negros assumem formas de vida que são estranhas à maior parte dos brancos. Maior parte, porque há brancos que, como se costuma dizer, têm a mania que são pretos. E quer uma pessoa queira quer não, há atitudes que conduzem a uma ou outra forma de racismo. Num trabalho que fizémos para uma cadeira do Manuel Monteiro, especulei sobre o seguinte: as ex-colónias lutaram e conseguiram a independência de Portugal. Correcto. Então, se quiseram livrar-se de nós, será que nós temos a obrigação de os acolher de braços abertos? Na altura, não me expliquei bem e isto foi mal interpretado. Tratou-se simplesmente de uma pergunta retórica. Não concordo, apenas lancei a questão, na possibilidade de ser o pensamento de alguns. Não devemos nada às ex-colónias, mas a forma como fizémos a descolonização não foi propriamente a mais correcta, embora na altura houvesse a sensação que sim. Além disso, os oriundos das ex-colónias são imigrantes como todos os outros, mas há uma questão: se vêm para cá com o objectivo de causar destruição, medo, pânico... não, obrigada. Façam isso nas vossas terrinhas, ok?
Disse.
Beijocas a todos

Hail

É pessoal! é só p dizer q curti bués o dia da reunião. juntar a malta no portugal é sempre fixe!!!Apareçam sempre que isto sem voces é uma seca!!!
Já agora informo-os de que já nao tenho remédio, depois dos moonspell em abrantes hoje desloco-me ao atlantico p ver os deuses Iron Maiden. Já não há meio de ganhar juízo! ai ai
Beijos e abraços!

Olá pessoal!!

Olá a todos, espero que a vida esteja a correr bem a todos.
Bem o que me trás hoje aqui é um assunto um bocado delicada...
Hoje recebi um e-mail acerca do RACISMO...decerto que toda a gente ficou a saber do "ARRASTÃO" da Praia de Carcavelos...Depois destes acontecimentos e daquilo que se ia passar em Quarteira...este é um assunto que merece uma especial atenção da nossa parte... Eu não sou Racista, mas com os acontecimentos que se têm vindo a passar...é claro que muita gente vai começar a olhar de lado as minorias que existem no nosso país...Agora a culpa de qualquer coisa vai ser do "preto" ou do "cigano". Mas também a comportarem-se desta maneira...não são todos...são só alguns.
Do mail transcrevo algumas partes para que possamos analisar e tirar conclusões...

"...Continuamos impavidos e serenos enquanto existem istituições como o S.O.S Racismo que em virtude do que aconteceu ontem em Carcavelos tem o descaramento de dizer que a culpa é nossa que não sabemos acolher os imigrantes e que os discriminamos. Continuamos calados quando vimos um irmão BRANCO ser agredido, assaltado, violentado na rua por bandos de pretos ou ciganos. Continuamos a não ir prestar queixa à esquadra quando acontece connosco por não acreditarmos na nossa justiça e não confiarmos nas nossas autoridades que tão pouca segurança nos fazem sentir..."

"...Eu amo o meu País, tenho orgulho em ser Portuguesa, não tenho vergonha de ser Branca, e quero continuar a sê-lo sem ter que sentir medo por isso quando saio à rua ou quando me apetece ir passear. Este País pertence-me, foi feito com o sangue, suor e lágrimas dos meus antepassados e quero preservá-lo..."


Estas declarações poderão ser interpretadas como xenófobas e racistas, mas não deixam de ter alguma lógica.
Pois bem...por um lado se existisse mais segurança nas ruas talvez estes episódios não acontecessem tão frequentemente.

Já agora esta pessoa também deixou um blogue para visitarem e verem quem são os Racistas... http://irmandadenegra.blogspot.com/

Está lançada a discussão...espero comentários.

quarta-feira, junho 15, 2005

É só um olá!

Olá, people, tudo bem?
Vim só dizer um olá a todos. Gostei muito de reencontrar parte do pessoal na passada 5ª feira. Já tinha saudades de estar sentada numa esplanada sem fazer nenhum. Não posso dizer a beber umas bejecas, porque não bebo, né? Quer dizer, não bebo cerveja!!!!!! E tive pena de não ter ido às festas, mas é sempre a mesma desculpa: o guito, ou melhor, a falta dele!! Ai, ai...
Quanto à sugestão da Sandra, a de fazermos outra reunião, concordo! Podemos fazer uma só nossa de avaliação deste primeiro ano de trabalho (infelizmente, só para alguns), mas onde pudesse participar toda a gente! Que dizem, hã?
Vera: Agora é que tiveste oportunidade de sentir na pele o que passam os professores, né? Não deve ter sido fácil chumbar a miúda, mas se achaste que foi o mais certo, fizeste bem. E essa história da competição, faz parte da vida académica, lembras-te? Se queres a minha opinião, como já te disse, acho que fazias bem em voltar para o Alentejo. Ficavas perto da família, poupavas dinheiro e ficavas a trabalhar, que neste momento deve ser o mais importante. Acredita, isto não está fácil!!!! Além disso, se te habituaste a estar longe de casa, também consegues desabituar-te, continuando a ser independente.
Por falar em trabalho. Se tudo correr bem, o Pedro há-de comerçar a trabalhar entretanto. Soubémos de uma empresa que precisava de uma pessoa e, em princípio, ele fica lá. Mas, infelizmente, não é nada certo.
Bom, já me estou a esticar, por isso
BEIJOCAS NA BOCHECHA PARA TODOS!!!!

terça-feira, junho 14, 2005

Olá pessoal!

Olá a todos!

Primeiro que tudo quero dar os parabéns, mais uma vez, à Sofia e desejar-lhe tudo de bom, agora nesta sua nova vida. Quanto aos incidentes...faz parte Sofia, pensa assim!

Quanto ao resto do pessoal, foi muito bom rever, na quinta-feira, algumas pessoas que já não via há algum tempo, embora comunique quase todos os dias com o Nuno, por exemplo. Estás igual. Tu e o Ginga sempre com as piadinhas de sempre (gozar comigo, digamos), mas ok, é sinal que continuam na mesma. Hi Hi!

Também foi bom ver o Hugo, o Paulito, a Sónia, as Veras, a Rosy (vejo mais vezes), tal como a Rubina e a Tixa. Estão todos óptimos.

Pois é, a reunião foi mais um pretexto para nos encontrarmos.......Rubina: por acaso não existem mais reuniões? Vê lá bem...... Se calhar o Dr. Eugénio até quererá saber algo de nós, ou a prof Romana, ou mesmo a Dnª Elsa que quando me vê pergunta como estão os preparativos para o casamento (sim ela pensa que vou casar - xiu). Pois é, temos de arranjar uma nova reunião.

Bem, agora vou-me dedicar ao meu portalzeco que hoje quero mesmo sair ás 18h30 para ir ver os The Gift a Abrantes, apareçam!

Beijinhos para todos! (um especial para a Tânia, falo com ela diversas vezes e sei o quanto ela queria estar aqui e recordar os velhos tempos, né camarada? Mas um dia vamos à desforra!, ok? - Beijinhos)

Xau pessoal!

as aulinhas chegaram ao fim ....oba oba

Olá senhores doutores (as)!!
Hoje terminam as aulinhas e assim volto a ter uma vida mais normal, já não tenho de preparar aulas e agora estou praticamente de férias, continuo a vir à escola mas agora só de vez em quando, e os serviços que me esperam são do tipo vigiar exames. Estou feliz por tudo ter corrido dentro da normalidade. Esta fase foi a pior só chumbei uma aluna e foi mesmo porque não podia ser de outra forma, mas mesmo assim há sempre quem fique descontente e ache que merece mais do que o outro e que eu estou a ser injusta e afins. Dar aulas não é fácil e embora o ordenado seja muito atractivo e seja gratificante por vezes é muito complicado lidar com os pestinhas. Foram só dois meses e meio e por isso adorei a experiência, contudo sei que se estivesse aqui o ano lectivo completo seria diferente.
dificilmente voltarei a dar aulas, mas será sempre uma hipótese em aberto. Vou manter-me mais uns tempos em Lx mas estou a pensar regressar ao Alentejo. Por mais que curta a minha independência e morar só, por vezes, apetece-me estar junto da família e regressar às origens. Vai ser complicado acomodar-me a um ritmo das 9 às 5, depois da agitação que é a minha vida em lx, mas hei-de habituar-me. E depois posso sempre regressar.
O que é feito da Célia? há montes de tempo que não dá notícias nem no blog, nem via mail.
Bem... o bom dia de trabalho para todos bjinhos

segunda-feira, junho 13, 2005

Caros colegas…

O meu casamento acho que correu bem… embora com certos problemas pois as tradições gastronómicas, culturais e religiosas são diferentes do norte para o centro:
1. A missa durou 1h15 minutos (regra geral dura 45 m);
2. O noivo para surpresa dele, minha e claro dos convidados fez a 1ª Comunhão em pleno casamento (fartei-me de rir pois não contava);
3. O copo de água no Norte é no início, em Abrantes é no fim.
O meu vestido rasgou-se…foi tão triste…a aliança do Joel não entrava…o meu pai só chorava… recebi muitos, mas muitos beijinhos…mas foi um dia lindo…inesquecível.
A minha madrinha estava lindíssima, assim como a Ruthia (como sempre), a Joaninha…e claro a Susy .
Adorei (re)ver o Marco, já não o via há muito tempo…beijinhos Marco.
Ah…no restaurante esqueci-me da Susy para fazer o brinde académico…ela ficou triste…
Fiquei emocionada ao sair da Igreja com as capas negras no chão, foi um momento único…
O Joel apanhou uma grande bebedeira…mas portou-se bem :)
A lua-de-mel não foi…era para ser, mas não foi… por infelicidade do destino eu e o Joel só tivemos 1 único dia de lua-de-mel. Fomos para o Algarve (Praia da Rocha) na segunda-feira à noite, gozamos a terça-feira, mas na quarta o Joel recebeu a notícia que o melhor amigo dele – para quem conhece, o Nuno Varela que foi ao casamento – morreu, e assim terminou a lua-de-mel com um velório e um funeral…na quinta-feira.
...enfim não escrevo mais senão ainda que criticam que ocupar muito espaço no blog .
Clara: Eu não disse nada de especial, quando a tua colega me ligou - na véspera do casamento - eu tinha tanta coisa na cabeça que só lhe disse que não sabia nada de nada…enfim...pedi-lhe desculpas pelo facto da mini entrevista ser tão péssima.
Beijinhos para todos

quinta-feira, junho 09, 2005

Olá a todos!

Espero que estejam todos bem! Estive ausente 3 dias - para folguinhas - e só hoje voltei ao nosso blogue para saber novidades. Já percebi que há alguém da turma que parece estar incomodado (a) pelos meus comentários que, na esmagadora maioria são reflexões e opiniões. Tendo em conta que a pessoa não se identifica, deixem-me esclarecer algumas coisas:
1. Enquanto estudava tinha mais tempo para vos encher a caixa de correio. Muitas vezes, admito, causava algum aborrecimento às pessoas. Hoje, o tempo que tenho - escasso, por sinal - já não me permite fazê-lo. Assim, e como o Ginga teve a feliz ideia de nos aproximar através deste meio, a única forma que tenho de comunicar com vocês diariamente é poder desanuviar um pouco no final de todos os longos dias de trabalho.
2. Consigo compreender que muitos dos temas que coloco a debate no blogue não interesse a todos. Mas todos sabemos que não conseguimos NUNCA agradar a gregos e troianos. Ainda assim, parece-me importante fazê-lo. Primeiro, porque me sinto bem a fazê-lo e a exprimir os meus pontos de vista. Segundo, porque continuo a pensar que este blogue é uma partilha de experiências. Se este espaço não for TAMBÉM isso, é mau. Muito mau.
3. Independentemente de a pessoa que assina o comentário não se identificar, continuo a não ficar ofendida por tal. A liberdade de expressão como o João, a Tixa e a Sofia disseram é permitida neste país e subscrevo o que disseram: só lê e interage quem quer.
4. Registo o conselho. Ainda assim, caro(a) colega, lamento, mas não é pela tua opinião - respeitável - que me impedirá de escrever seja o que for. E ainda que digas que a opinião da turma é unânime, não a vou considerar como tal. Quem tiver coragem de mo dizer, força! Agora pautar-me por porta-vozes de opiniões abstractas e sem rosto, jamais o fazei!
Beijinhos para todos!
P.S. - Sofia depois levo-te a A Capital onde saiu a tua declaração sobre o WATERGATE. Espero que a vida de casada esteja a correr bem! Agora só faltam os bebes!

Olá a todos!

Espero que esteja tdo bem com voçês...gostaria muito de ter ido aí, à ESTA e ao Almoço, só que o trabalho não perdoa e eu tenho imensa coisa para fazer...foi-me impossível.
Espero que o almoço tenha corrido lindamente...
Já agora um óptimo fds, pois eu ainda venho trabalhar no sábado, e na segunda, apesar de ser feriado aqui em Lx. Não importa...estou a gostar imesso do meu trabalho.
Abraços para os Srs Dr e beijinhas para as Sras Dª.

quarta-feira, junho 08, 2005

Almoçooooooooooooooooo

Então é assim. Marquei almoço para o portugal para 8/9 pessoas. Não sei quem vem à reunião e aqueles com quem falei nem todos vêm almoçar, por isso quem quiser vir almoçar, aliás, como escrevi anteriormente, é só dizer!!!
O almoço vai ser feijãozinho com bacalhau, com cebola, pimento e ovinho picado. muito bom! tb há carne p os mais esquisitos!
digam alguma coisa ou falem com quem falta. vou por as pessoas de que tou a fazer conta, se faltar alguem, eu sei q sim, falem com elas e digam QUALQUER COISA!!!!
eu, barbas, hitler, calincas, rosy, vivy, rabibi, vera maralhas, sónia pinheiro.
Se houver mais alguem que queira vir AVISEM!!!! hoje claro, ou digam a rubina. xau

terça-feira, junho 07, 2005

Hola!!!

Com vão os meus amigos/amigas???Espero ansiosa novidades do continente, mas parece que existe unanimidade em dizerem que não se passa nada....
Como vos entendo...também ultimamente até uma preguiça tem uma vida social mais agitada que a minha. Mas o trabalho na Revista está a correr bem, e em quantidade...
A Srª Sofia desejo todas as felicidades do mundo e que contribuas para o aumento da taxa de natalidade em breve :)))
É com imensa pena que não vou à nossa reunião anual, mas ao contrário do que diz o Ginga...não me estou a borrifar...e vou ficar a roer-me de inveja de sabê-los todos aí, no dia 9. Espero sim que tirem uma fotos engraçadas...para depois me poder rir das vossas chibas...lololololol
Para a Rosy, Caty e Vivy....deixem-se de copos (eu sei que o calor aperta!!!) e venham mais vezes ao blog...e ao msn. Tenho saudades das nossas cusquices.

Jinhos para todos

ainda não recuperei do fds

Olá meninos!!!!
Este fim de semana, ou melhor no sabado, fui para Palmela/serra da arrábida dedicar-me aos desportos radicais. O call center organizou um dia radical onde participaram desde o director geral aos operadores, num total de 100 pessoas. Dado que passo os dias sentada, já precisava de um pouco de exercício mas as provas de orientação deixaram-me de rastos e ainda ando estoirada. também havia slide, tiro com pistola, tiro com arco, pontes com obstáculos e paintball, que se revelou o mais divertido, embora a máscara e o fato de macaco que nos dão para vestir sejam pouco confortáveis. João terias adorado, foi muito fixe. fiquei com a Ivete na minha equipa e um rapaz da TV Cabo que se chama Rui.
Pessoal acho que podiamos juntar um grupinho e passar um dia assim, há montes de empresas do género ali na zona e penso que não deve ser muito caro.
Ginga eu só hoje vou saber se aqui na escola me aceitam ajustificação ou não. mas em princípio dá para ir na boa e é claro que alinho no almoço.
bjinhos para todos

segunda-feira, junho 06, 2005

Venho aqui deixar um recado, pelos vistos, a toda a turma! Surgiu um comentário à última mensagem que a Ana Clara escreveu com o qual eu não concordo. A pessoa que o escreveu (não se identificou, porque não quis ou esqueceu-se de o fazer) falou em nome de toda a turma. Em nome de toda a turma, não! Não passei nenhuma procuração para falarem em meu nome, até porque eu NÃO subscrevo o que o "Anónimo", neste caso, a "Anónima" escreveu.
As mensagens aqui escritas só lê quem quer e ainda existe um direito que se chama liberdade de expressão. Não sei quem escreveu, nem quero saber, mas não acho correcto.
Aqui fica o meu recado.
Ana, continua!!!!
Beijocas

ALmoço!!!!

Comé pessoal!?! Afinal quem vem e quem não vem cá dia 9?O pessoal curtia almoçar, mas era fixe reservar mesa, por isso tb era fixe saber quem vem almoçar. Por este andar juntam-se os boys a mamar copos e a dizer mal de quem não tiver! Já sabem como é...
Já sei que a tixa a a beta não podem almoçar e que a tânia tá-se a borrifar p a malta e que nem a reunião vem (devem ser ordens do presedente dela... just kidding!!!).
Quem vier confirme que é p ver se almoçamos juntos ou então digam q não almoçam p nao fazermos conta, tá? Xau xau

Dia 9

Gingalhão, olha, não vou poder ir almoçar na quinta-feira, mas sou capaz de chegar aí por volta das 14h30. Quando chegar, digo, tá?
Beijocas grandes na bochecha

domingo, junho 05, 2005

Watergate - finalmente fonte revelada!

Hoje apetece-me falar de fontes!
A revelação da identidade do Garganta Funda que deu origem ao caso Watergate é um exemplo, pelo menos para mim, a seguir no jornalismo do século XXI. O segredo, em nome da protecção das fontes, durou tempo demais. Em muitos casos com protagonistas nacionais, com alguns dos que em Portugal se dizem jornalistas, teria durado apenas trinta minutos. Não fossem os exemplos recentes de revelações de fontes, como é o caso do jornal de referência do nosso país: o PÚBLICO!
As fontes e a sua identidade são sagradas. É um princípio – base que todos os jornalistas aprendem a partir do momento em que se iniciam nos estudos académicos e depois abraçam a profissão. Infelizmente nem todos respeitam uma condição que em vários países tem levado outros profissionais da comunicação social à tortura, à prisão e até à morte. É vulgar aparecerem na praça pública rumores e boatos, muitas vezes confirmados mais tarde, sobre a pessoa onde tem origem a fuga de informação que permite construir uma determinada notícia.
Se há ou não violação do segredo de justiça, e se deve ou não haver, é uma discussão que por agora não vem ao caso mas, seja como for, nunca se deve revelar ou insinuar a identidade de uma fonte. Não é grave, é gravíssimo quando acontece.
Principalmente porque acontece normalmente como mera expressão de vaidade - revelando o mérito de ter alguns contactos privilegiados - ou como forma de justificação para fugir a críticas e calúnias de gente menos crente e mais maldosa. Ser jornalista é também saber assumir com coragem as consequências do que nos pode acontecer quando se mexe em algumas questões menos pacíficas, sem recorrer a métodos menos "católicos" para converter os menos crentes.
Em 1972, Mark Felt, o então número dois do FBI, revelou a dois jovens jornalistas norte-americanos que a sede do Partido Democrata tinha sido alvo de escutas telefónicas instaladas pela CIA em tempo de campanha eleitoral. Bob Woodward e Carl Bernstein eram os dois jornalistas escolhidos por Felt e foram também dois ouvidos atentos a todas as informações reveladas no maior sigilo. O Washington Post era o jornal onde trabalhavam e por razões óbvias, devido à delicadeza do assunto, informaram Ben Bradlee, o director da publicação.
Richard Nixon estava na presidência. Dois anos mais tarde foi obrigado a demitir-se. Foi a única resignação na história dos Estados Unidos da América. O caso deu grande brado no país e no mundo, e desde sempre existiu uma lista de nomes suspeitos.
Os quatro nomes envolvidos neste “furo” jornalístico foram fiéis à promessa feita e à palavra dada, mantiveram segredo durante mais de três décadas. Woodward e Bernstein foram ainda fiéis à cartilha ética e deontológica dos jornalistas. Só agora, por vontade do próprio denunciante, os verdadeiros contornos de quase toda a história chegam ao conhecimento do público em geral.
Há muitos jornalistas em Portugal que funcionam desta forma há vários anos, e alguns já foram pressionados várias vezes, e aliciados outras - ACONTECE DIARIAMENTE - para revelarem a origem das informações que lhes permitem dar notícias difíceis de conseguir sem as suas preciosas fontes. Não o fazem por respeito à profissão, às fontes e a si próprios. Só é pena que nem todos procedam com tanta nobreza, e por isso há tantos rumores, boatos e intrigas na praça pública envolvendo nomes de prováveis fontes. Houvesse mais respeito e mais consciência e não seria assim. Woodward e Bernstein são mais dos que dois bons jornalistas, são excelentes exemplos.
Digam o que disserem, tenho para mim própria a consciência de preservar as fontes - de primeiro ou segundo plano - com quem lido todos os dias. São elas que me dão as notícias e merecem o meu respeito e a minha confiança. Se as «queimar», corro o risco de perder o que de mais precioso tenho e AINDA estou a construir: a AGENDA!
Beijinhos e abraços para todos!

sábado, junho 04, 2005

olá, apesar de estar um pouco triste

Olá a todos, espero que estejam bem.
E a Sofia já está casadita, aliás a Srª Sofia!lol Resmas e toneladas de felicidades.
Pois é! Estou mesmo triste ao ver que pessoas da nossa turma andam a participar num blog anónimo... sinceramente!!!
Devemos exprimir as nossas ideias e todos sabemos que houve e há coisas na ESTA que estão mal e que nós fomos os maiores prejudicados, mas daí a ser necessário exprimirem anonimamente as vossas opiniões e colaborarem num blog tão mau como aquele...É triste, acho eu... Em todo o lado há coisas boas e más e para quem está a trabalhar sabe disso melhor que ninguém, a ESTA não é excepção!
Até posso compreender que faça confusão a muita gente estar cá a estagiar... mas muitos de nós sabemos que quem tira as melhores notas durante o curso, nem sempre são os melhores profissionais. Com cunha ou não se forem sensatos, reconhecem que trabalhei muito para esta instituição e que ao contrário de muitos acredito nela e tenho acima de tudo carinho!
Para quem cá estuda entendo, que tenha vontade de reenvindicar o que acha que está mal, agora para nós que já deixamos de ser alunos, o que é que ganhamos???
Se esta instituição der o "berro", nós somos prejudicados, afinal foi aqui que nos formamos (mal ou bem), o nosso nome, no mercado de trabalho está associado à ESTA.
Graças a Deus que há liberdade de expressão e todo este meu "testamento" não é para censurar nada, nem ninguém, apenas estou a partilhar o que penso!!!
Acho triste que enquanto cá andaram, poucos fizeram alguma coisa para melhorar isto e agora que têm uma vida pela frente e trabalham decidiram "fazer justiça anónima"
Não são atitudes de homens nem de mulheres, mas sim de cobardia.
Aquele blog arrasa-me pessoalmente, mas eu consigo dormir bem com aquilo e jamais participarei numa coisa daquelas, porque acima de tudo existem princípios!
Entristece-me que alguns de vocês exprimam o que sentem daquela forma, já o outro dizia que " não havia zzzz nezzzcessidadezzz"
Apesar de tudo há pessoas na nossa turma por quem tenho um enorme respeito, carinho e saudades e outras que me desiludiram ano, após ano! Não podemos gostar de toda a gente, como não podemos agradar a toda a gente, mas isto não quer dizer que não haja respeito por cada um, goste-se muito, pouco ou nada! A boa educação é um pilar para um bom ser humano e recomenda-se que seja utilizada entre pessoas, goste-se ou não. Nunca fui mal educada com as pessoas com quem tive problemas ou com pessoas de quem não gosto muito!
Nem sempre os meios justificam os fins, porque antes de tudo temos de nos valorizar e não descer tão baixo ao ponto de se nos "ver as cuecas"!!!!
Foi um desabafo... não levem a mal aqueles que nada têm a ver com isto, já me conhecem!!!:)
É que felizmente a informática avança mais que a medicina e é possível saber quem participa lá e alguns dos nossos colegas, apesar de anónimos, não tiveram atenção para disfarçar a escrita! 5 anos dá para nos conhecermos, não dá?
Fiquem bem...
Beijinhos e bom fim de semana
Até dia 9!

sexta-feira, junho 03, 2005

Felicidades para a Sofia

Caros doutores e doutoras da ESTA lamento mas desta vez a mensagem é só para a Sofia!
Hoje é já sexta-feira, o teu último dia de solteira. Desejo que o dia de amanhã seja um dia muito especial e que tudo saia tão bem ou melhor do que aquilo que esperas. Desejo-te as maiores felicidades e que daqui para a frente a Sr... (pois ainda não sei o teu novo apelido) tenha mais responsabilidade, goze a vida a dois ao máximo e que daqui por uns aninhos nos presenteie com um ribatejaninho. Desejo-te as maiores felicidades do mundo!
Sei que o dia de hoje será muito stressante e que já deves ter voltado à Póvoa, o mais provável é que não chegues a ver o blog. No entanto aqui ficam os meus votos que se certo serão também os da turma! Beijinhos e boa sorte...

quinta-feira, junho 02, 2005

Yellow! Esta já é velha, mas pronto(s)

Olá, pessoal, escuso de perguntar se está tudo bem, porque já vi que sim!!
Bom, vamos então aos recados. E desculpem, mas isto hoje vai ser enorme! Sorry...
Sofia: Pelos vistos, adoraste a tua despedida de solteira e ainda bem! Sinceramente, tenho pena de não ter ido, mas como já te expliquei o money que é bom faltou. Desculpa. Espero que tenhas o teu casamento de sonho, que te divirtas ainda mais e que a noite de núpcias... ... enfim, já sabes!
Sandra: Vimo-nos no Penim, mas mal falámos. Está tudo a correr bem no trabalho? Espero que sim. A minha irmã já está a fazer as mudanças, por isso dentro de pouco tempo vai deixar de ser tua vizinha... Vais ao casamento do Jacob e da Xana?
Tânia:Abstémia e Tânia não são sinónimos, mas sim antónimos. Quem te conhece, sabe bme que estás mentir, sua desgraçada!!!!
Ana Clara: Muitos parabéns, Titi! Também estou muito ansiosa para que chegue a hora do meu/minha sobrinho/a chegar, mas ainda faltam 6 míseros meses... ... BUÁ!!!! Mas, que remédio! Pelo menos, já sei que é só um (a minha irmã estava com receio que fossem dois, pois havia essa probabilidade!) e só daqui a 1 mês é que sei é um ou uma!
Johnny: Quer dizer, andavas a queixar-te que não trabalhavas e agora que trabalhas, queixas-te também?!?!? Não há quem te entenda, rapaz!!! ;-)
Ana Catarina: Olá, gaja, espero que esteja tudo bem contigo! Não te vi da última vez que fui a Abrantes! O Nelo está bom?
Gingalhão: Boa, Ginga, tu, que és bué da gordo, conseguiste emagrecer! Boa, continua, tu consegues!!!! Falando de coisas sérias (ha, ha, ha, como se fosse possível contigo!!!! brincadeirinha!), eu vou aí dia 9. E não é nada má ideia o pessoal ir almoçar. Depois, dou-te a confirmação, tá? Já agora quem é que faz anos? Por acaso, não és tu, pois não? Peço desculpa à pessoa por não saber...
Bom, quanto a mim, é tudo velho. Continuo a trabalhar até às tantas e o Pedro já me deu cabo da cabeça e tudo... Ah, alguém diga à Susete que eu peço desculpa por não ter conseguido ajudá-la quanto à multa... Ah, esperem, afinal, há uma novidade: o meu pai foi eleito Bombeiro do Ano de 2004 pelos Bombeiros Voluntários de Leiria... Yuppi doo.
Desculpem lá a maçada da extensão do texto, mas teve que ser. Prometo das próximas vezes ser mais curta e grossa... ;-)
Beijocas grandalhonas na bochecha para todos CHUAC CHUAC CHUAC

Há quanto tempo

É pessoal! Já não passava por aqui há bués! Estes últimos dias têm sido desgastantes ao máximo a terminar o Estajornal, 10/13 horas por dia, fds e tudo. Ao menos perdi 2 kilos, o que é sempre bom! Sim já sei, trabalhei que me fartei agora e o resto do tempo ando sem fazer nada... não é bem assim, mas anda lá perto.

Já sei q a despedida da Sofia foi em grande, com bubadeiras com fartura, pilas na cabeça e coisas do género, só foi pena ela não ter convidado os Boys !!! Havia de ser bonito!

Bem mas vamos ao que interessa: Quem é que cá vem no dia 9????
è o seguinte, a reunião é depois das 15H, ou seja, se vierem cedo, dá p almoçarmos. Era fixe saber quem vem, e se querem almoçar ou não. Deixem confirmação e deiam sugestões sobre um sitio para irmos almoçar. É que deve ser necessário marcar mesa... e vinho...
ainda por cima nesse dia há uma pessoa que faz anos e tudo...

vá digam qq coisa! Mércias!

Abraço aos boys e lambidelas às girls

quarta-feira, junho 01, 2005

Olaa!

Pessoal com vai o continente? Pela Ilha tudo na maior...
Tou a experimentar os prazeres de fazer horas extras sem receber um tusto...é assustador...e qdo me contavam não acreditava, mas a verdade é que é a morte da artista, moi...même.
Eu tal, como a Rosy, quero é ser patroa...se alguém tiver dicas, esteja à vontade...
Sofia: Dizer rijo n é assim tão mau...o problema é o que podes fazer com ele...o termo!
Jinhos e vão contando coisas

OHHH Ana...

Agora que sou uma mulher QUASE casada posso dizer: - "Oh Ana Catarina cuidado com a palavra "rijo".... é complicado utiliza-la...
Beijinhos

olá pessoal!!!

Tudo rijo???

É verdade a despedida de solteira da Sofia foi em grande, divertimo-nos montanhas e ainda matá-mos saudades umas das outras, com muita cusquice à mistura.
Mais uma vez quero desejar muitas FElICIDADES aos noivos e tudo de bom pela vida fora.

Quero deixar um convite para todos, visitem o site: www.coisasdaesta.blogspot.com, acho que vão gostar. Pelos comentários prestados já deu para perceber que alguns de vós já por lá andaram a dar o contributo.

E não se esqueçam das festas da cidade, se poderem passem por Abrantes, seus forretas.

João: Parabéns pelo trabalho. Depois daquela experiência fico contente que estejas bem e a curtir o trabalho.

Tânia: Abstémia? Essa não é a palavra de ordem. Se quiseres diz, que eu mando-te uma palete de Minis " SuperBock" é claro, expressamente vindas do café Portugal para a bela ilha da Madeira.

Ana Clara: Que coisa feia!!!! Isso não se faz ZZZZZZZZZ

Sónia Joana: Nem penses em te cortar ao nosso próximo jantar de turma. Faz as coisas da melhor maneira para poderes estar presente.

Vera Maralhas: Andas para aí a dizer que ainda não foi desta que ficas-te de rastos. Mas para a próxima nunca se sabe :)

Ruthia: Já sabes, és a próxima. beijinhos

Inté à próxima,
Muitos beijinhos e abraços para todos. E não se esqueçam de dar notícias, nem que seja de vez em quando, que é o meu caso.