segunda-feira, janeiro 29, 2007

Aborto: onde está a verdade?

Controversa. Polémica. E discutível. Assim vai a discussão sobre a Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG). Para a maioria, senão mesmo a totalidade das igrejas, o aborto é um crime intolerável contra um inocente indefeso. Para uma grande parte de não religiosos é, não só o recurso extremo para uma gravidez indesejada, como ainda, uma forma de proteger a mulher contra o aborto clandestino que quase sempre deixa sequelas e muitas vezes ceifa vidas.
Legalizada ou não, a prática da IVG parece ser corrente na nossa sociedade, embora e quase sempre em situação de desastre inevitável. Se é certo que a sua proibição não trará qualquer diminuição à sua prática, certo é também, que a sua legalização poderá vir, pelo menos, diminuir o catastrófico da morte.
Na minha opinião o que o Governo pede a todos os portugueses no próximo dia 11 é apenas a liberalização. E é esse o dilema e a confusão que pelo menos em mim está a criar. Enquanto mulher. E enquanto cidadã. Porque, ao contrário, do que tendem a passar os defensores do sim — que apregoam em alto e bom som a despenalização — esta última não é alcançada com a lei em causa. Toda a mulher que abortar às 10 semanas e um dia continua a ser criminosa.
Considero por isso que a discussão não é séria. Primeiro, porque é a lei do Partido Socialista que os portugueses vão escrutinar. Segundo, porque o PS não assume, honesta e politicamente, como seria de esperar, que não é de despenalização que se trata. E terceiro, porque está a enganar os portugueses ao não dizer o que acontecerá se o resultado do referendo for vinculativo.
Uma coisa é certa, as pessoas que são contra a IVG consideram-na um crime e as que o aceitam dividem-se em relação ao momento em que se aborta e as circunstâncias que levam as mulheres a praticá-lo. Falta saber se o embrião é uma «pessoa» ou se é apenas material genético. Não nos podemos esquecer que a prática do aborto é uma realidade e passa por saber em que condições será realizado. E é isso que precisamente não sabemos.
Por fim, acho lamentável que esta campanha esteja, mais uma vez, a ser vergonhosamente partidarizada. Um PS que não olha a meios para fazer aprovar uma lei «mal feita». Um PSD que opta por não ter posição oficial mas cujo presidente faz campanha pelo «Não». (Seria mais lógico o maior partido da oposição — que doutrinariamente defende o «Não» — assumi-lo oficialmente. Prefere antes ser demagógico…). Um CDS, agarrado à matriz ideológica, que não sabe evoluir no discurso, mesmo sendo pelo direito à vida. E um PCP — morto por dentro — e um BE — fundamentalista por fora e despido de ideologia interna — que apelam obsessivamente ao «sim». Assim vai, passo a passo, o debate sobre o referendo neste País!

P.S. – Lanço o tema para a discussão no blogue. Deixo algumas ideias. Mesmo para os que acham os meus textos chatos… Beijinhos e abraços para todos.

sexta-feira, janeiro 26, 2007

Hello

Então malta, como vai isso? Ora casam ora não casam, é só malta variada. Eu por cá ando, na mesma, esta última semana fizemos mais um jornal, deve sair para a semana, penso que toda a gente o recebe em casa, certo? é de comemorar, pois só saem quatro por ano, ainda...
De resto não há nada de novo, em Abrantes tudo como dantes
E este ano nem sequer ainda fui ao Portugal, que filho desnaturado.
Tive com o Marco, que almoçou comigo, e parece que a Tixa ficou invejosa, porque agora já quer vir também almoçar, e pagar! Oh yeah! Tenho visto a Catarina de Aveiro, que anda toda baralhada, e a Jesus, que anda sempre ali pela biblioteca.
Em breve irei fazer umas visitas rápidas a alguns de vós. Para a semana, os felizardos, irão ser notificados.

Pergunta parva desta semana: (contexto- eu numa sala com alunos a fechar o jornal...) "Ó João, a página 9 é par ou ímpar?"

Adeus adeus! já agora, quem quiser ver como eu afinal já ganhei juízo procure pelo Tube por malvada chiba ou qualquer coisa do género...

Desculpem...

Pessoal, tenho uma meia confissão a fazer-vos. Eu vou casar, não sei é quando! Há-de ser um dia! Só disse aquilo para ver se o blog animava e, pelos vistos, resultou! Por isso, estou perdoada, né? ;-) Obrigada pelos parabéns na mesma!!!

Sem mentirinhas inocentes, a vida continua na mesma. Muito trabalho, pouca diversão, consultas no dentista, consultas no oftlamologista, ver a minha sobrinha de mês a mês... Enfim, a mesma pasmaceira...

Para os interessados, sou capaz de ir a Abrantes entretanto. Pelo menos, dia 15 de Fevereiro, estou aí chapada. Queria ver se pagava o almoço a alguém (ou talvez não!), mas não sei se vou conseguir esquivar-me do trabalho. Depois logo digo!

Fiquei chateada com o Marco! Então, vai nascer a primeira cria da Turma de 99/00 e ele não diz nada??? Ai, ai, ai, ai, ai!!!!! Brincadeirinha...

Bom, beijocas para todos. E quando for mesmo casar eu digo, ok?

segunda-feira, janeiro 22, 2007

Olá

Pois é Tixa, o pessoal anda todo muito ocupado...é a vida.
Bem, já que ninguém anuncia novidades, eu também tenho poucas...vim mesmo dar o ar da minha graça. Vá, fiquem bem..um abraço e beijinhos para quem de direito...

sexta-feira, janeiro 19, 2007

Então??????

Dezasseis!!!!! Há dezasseis dias que não vem aqui ninguém!!! E se não tivermos em conta que eu fui a última a escrever perfaz um total de VINTE dias!!!!! Então, pessoal, que se passa?? A vida anda assim tão má????
É preciso dizer que vou casar para aparecer alguém?????? Hã?????

quarta-feira, janeiro 03, 2007

Primeiras!!

É só para dizer que fui a primeira a escrever aqui este ano!! Eheheh!
Mentirinha...

Então, pessoal, como foram essas entradas? Boas? Porreiras? Bué de fixes? Fantásticas? De qualquer forma, espero que sim. As minhas foram porreiras. Embora tivesse acabado 2006 e iniciado 2007 com uma daquelas bolhas horríveis nos lábios! Mas, enfim...
De resto, ano novo, novidades velhas.

Espero que esteja tudo bem com todos. Ah, Tânia e João, parabéns pelo título de Maior Espectáculo Pirotécnico do Mundo!!! Com um Presidente assim, só podia. Mas enquanto não ele a deitar fogo, estmos todos bem!! ;-)

Beijocas para todos