sexta-feira, janeiro 20, 2006

Tempo de Antena

Hoje vou-me armar em Clara...

As presidenciais e os critérios de noticiabilidade



Ruben de Carvalho escreve hoje no DN sobre dados revelados pela Marktest na terça-feira passada, relativamente aos tempos da cobertura televisiva dos candidatos às Presidenciais. De acordo com estes dados, Cavaco Silva foi o candidato que, entre 9 e 15 de Janeiro, protagonizou maior número de notícias e notícias de maior duração. Garcia Pereira foi, pelo contrário, o candidato que, no mesmo período, protagonizou o menor número de notícias e notícias de menor duração.

Embora não o diga claramente, julgo que Ruben de Carvalho "contesta" esta disparidade. Sobre isto tenho uma opinião diferente, que se exprime num conjunto de interrogações:

  1. É assim tão ilegítimo que as TV's (e todos os órgãos em geral) dediquem mais tempo (ou espaço) a um candidato do que aos restantes?
  2. Resumem-se os critérios de noticiabilidade à equidade do número e duração das notícias?
  3. Não é lógico que a causa desta disparidade está a jusante (a montante, quero dizer) no modo como candidato gere a sua campanha e não na objectividade dos jornalistas?
  4. Se numa campanha acontecem menos factos noticiáveis, por que razão devem os órgãos de comunicação social noticiar aquilo que parece não suscitar nenhum dos critérios jornalísticos?
  5. Não é esta questão da equidade da cobertura jornalística quase uma exigência pelo cumprimento de uma espécie de "quotas de exposição mediática"?

Não me parece que a avaliação do trabalho da comunicação social se deva centrar neste aspecto quantitativo. De um modo geral, diria até que temos assistido a um bom trabalho - rigoroso e equilibrado - que, a meu ver, comprova a caducidade das persistentes acusações de Mário Soares.

em : http://webjornal.blogspot.com/2006/01/as-presidenciais-e-os-critrios-de.html

3 comentários:

Ana Clara disse...

Até que enfim Ginga...que não me deixas a dissertar sozinha sobre Política! Haja alguém que me oiça!

Bancada Directa disse...

Mas parece-me que uns são mais filhos que outros, só isso.
E quem perde é claramente Portugal, pois dois dos candidatos já estiveram no poder e parece que o povo tem memória curta, pois eles uns dos grandes responsaveis pela crise actual.

Abraço

Bancada Directa disse...

...Pois (Cavaco e Mario)eles foram os responsáveis pelo estado do pais...