terça-feira, agosto 16, 2005

Crónica de uma jornalista desempregada


A pedido do mentor deste blog...aqui estou eu para dar «notícias». Agora na qualidade de desempregada. Digamos que apesar da satisfação com que escrevo ser a mesma, confesso que o espírito, esse, é diferente.
O Ginga pede-me para dissertar como tem sido o meu dia-a-dia depois do fecho da Capital. Muito diferente João. Mesmo. Depois de uns dias de interiorização veio o tempo de levantar a cabeça e seguir em frente. Não foi fácil de um dia para o outro deixar de dedicar 12 horas por dia ao jornalismo...a chatear a classe política portuguesa...a fumar três maços de cigarros por dia...a sair do jornal à meia-noite e a ir para os copos com a redacção... Mas adiante. Depois de n almoços e jantares com imensos políticos...porque queriam almoçar comigo, perceber o que de facto se passou, agradecerem-me pela relação jornalista/fonte que tivemos...digamos que agora espero por feedback de contactos para eventuais propostas de emprego. No meio disto tudo tive um convite para ser assessora de um candidato a uma autarquia da Área Metropolitana de Lisboa. Que, por enquanto, (desculpa Ginga, como calculas, ainda não posso revelar porque ainda não tomei uma decisão) ainda estou a ponderar. Não arredo pé de Lisboa. Só desistirei de ser jornalista quando estiverem esgotadas todas as possibilidades para tal. É como deitar um ano de trabalho, evolução na profissão e uma agenda fora. Não o farei. Pelo menos por enquanto.
Para além disso, andei a negociar a minha indemnização com os espanhóis. Consegui, ao fim de duas semanas, mais 500 contos que o que me queriam dar. Advogado, perdoem-me os que o são, são todos da mesma laia. De pessoas passamos a números num ápice. Esta é uma fase da minha vida que nunca esquecerei. Para além dever a morte de um jornal muito cedo, também cedo aprendi a não ser roubada e a lutar pelos meus direitos como assalariada. E depois não quero suspender nem entregar a minha carteira profissional e passar para o lado do inimigo.
A todos os que neste blog se solidarizaram comigo, fica o meu sincero agradecimento.
Um beijo para todos vocês!

Sem comentários: