sexta-feira, junho 30, 2006

A carta de Freitas sobre as razões da saída do MNE

José Sócrates propôs a Cavaco a exoneração de Freitas do Amaral do cargo de ministro dos Negócios Estrangeiros e a sua substituição por Luís Amado, até agora ministro da Defesa. Para esta pasta irá Nuno Severiano Teixeira, que foi ministro da Administração Interna de António Guterres.
A saída de Freitas é feita a pedido do próprio. No documento que enviou a José Sócrates (exclusivo Expresso) o ministro demissionário refere que o pedido de demissão não foi motivado por divergências políticas, mas pelo agravamento do seu estado de saúde, pois tem três lesões na coluna vertebral.
A convalescença obriga a repouso absoluto nas próximas semanas e impõe a proibição de viajar de avião nos próximos meses. A decisão da cirurgia é a conclusão de uma consulta permanente com médicos que lhe disseram não ter condições físicas para continuar a exercer a pasta de MNE, que «exige uma grande capacidade de trabalho e numerosas deslocações». Na carta que enviou ao primeiro-ministro diz ainda que lamenta ser obrigado a tomar esta decisão.
Curiosamente, há uns meses o ex-líder do CDS acusava o Expresso de ter «mentido» numa entrevista que o ministro demissionário deu aquele jornal. Na altura, Freitas dizia sentir um «grande cansaço físico» exactamente por causa da sua coluna, sendo um sacrifício as constantes viagens que o seu cargo exigia.
É bom que a opinião pública e a classe política pensem duas vezes antes de acusarem a comunicação social de muitas vezes faltarem à verdade. Mas a verdade também todos nós já sabemos..é que esta saída não surpreende ninguém! Quem deve estar a esfregar as mãos de contente é, pois claro, o Caldas....
Nota:
É pena que Jósé Sócrates não aproveite esta remodelação para substituir outros ministros. É pena que o Primeiro-Ministro continue a ser «teimoso» nas suas obsessões políticas! Apesar da legitimidade política que Freitas tinha - mais que qualquer outro ministro até - para ter posições polémicas como foi a crise dos «cartoons», o agora ex-governante não era o grande problema deste Executivo. Aliás, apesar de ser o n.º 3 de Sócrates, no fundo, nunca desempenhou esse papel. Mário Lino, Isabel Pires de Lima, Jaime Silva e Alberto Costa mereciam bem mais um convite para sair! Enfim, o Governo e o Primeiro-Ministro que temos!
Beijinhos para todos!

Sem comentários: