segunda-feira, julho 02, 2007

Mas afinal, que lei é esta?

Todos o sabem. Sou uma fumadora do pior que pode haver. Ainda assim, perante restrições, sou inflexível. Regras são regras e são para cumprir. Por isso, a partir de 1 de Janeiro do próximo ano vou passar a fumar menos. No local de trabalho, em restaurantes e quando estiver à espera do comboio, na estação do costume.
Não estou contente. Confesso. Mas já interiorizei que daqui a seis meses lá terá que ser. Só lamento que, numa lei que há muito se esperava, o Governo não cedesse. Suavizou um documento que se pretendia mais inflexível. E o que me chocou foi apenas um dos recuos: nos estabelecimentos com mais de 100 metros quadrados, mantém-se a obrigação de serem destinados a não fumadores, embora possam ter um espaço para fumadores, desde que não ultrapasse 30 por cento do total do espaço.
Se isto é ser implacável com a redução do consumo e contra o cancro, o que dirá a Irlanda e a Espanha das suas legislações?

P.S. — Não há ninguém mais fumador que eu. Mas acho que vai ficar tudo na mesma. E em 2008 os não fumadores vão continuar a levar com o fumo dos outros. Só lamento que isentem as mulheres que pretendem abortar de taxas moderadoras, que reduzam as nossas pensões, que mantenham os nossos impostos ao nível mais elevado da UE, etc., etc., etc., e numa lei que este Governo tanto ergueu como bandeira, acabe nisto!

Sem comentários: